Seja Íntimo de Nossa Senhora em apenas 6 passos simples

Síntese do Curso

       

Deus tinha um segredo e o revelou à sua Mãe Santíssima por meio do Anjo Gabriel: “o Anjo do Senhor anunciou a Maria e Ela concebeu do Espírito Santo”. O segredo de Deus foi, portanto, o Mistério da Encarnação.

Ora, Maria também tem um segredo, como nos ensina São Luís Maria Grignion de Montfort, em sua obra O Segredo de Maria.

Se queremos penetrar neste segredo, é necessário sermos íntimos de Nossa Senhora. Para tal, o autor propõe seis passos simples, distribuídos em seis aulas:

1º – Maria, Medianeira de todas as graças

2º – Maria, Filha bem-amada de Deus Pai

3º – Maria, Mãe admirável de Deus Filho

4º – Maria, Esposa do Divino Espírito Santo

5º – A Igreja Primitiva, Pentecostes e Nossa Senhora

6º – Morte e Assunção da Virgem Maria

Primeiro, trata-se de descobrir, com base nas Escrituras, na Tradição, e no Magistério, quem é “o autor” da devoção a Nossa Senhora e qual a forma efetiva de mediação que Ela, Maria Santíssima, exerce sobre os homens.

A seguir, trata-se de refletir acerca das misteriosas relações de Nossa Senhora com as três Pessoas da Santíssima Trindade, porque Ela está inserida no plano da criação que Deus, em sua bondade e onipotência, idealizou desde toda a eternidade.

Também refletir sobre o papel de Maria na Igreja Primitiva e no evento de Pentecostes. Ela é Mãe da Igreja, uma vez que gerou, por obra do Espírito Santo, o Filho de Deus e também gerou, com a cooperação do mesmo Espírito, os membros de seu Corpo Místico. Desse modo, a Igreja-Menina é, nos seus primeiros dias, embalada nos braços de Maria.

Por fim, resta saber se, de fato, Maria morreu: de que, quando e onde, uma vez que foi Assunta aos Céus.

Maria quer formar novos filhos de Deus, como formou seu Divino Filho, uma vez que Ela é a “forma de Deus”. E para descobrir o seu segredo é necessário entrar na sua intimidade.

Bem-vindos ao Curso: “Seja íntimo de Nossa Senhora em apenas seis passos simples”!

Padre Alex Barbosa de Brito, EP Padre Alex Barbosa de Brito, EP

O Pe. Alex Barbosa de Brito é conhecido pela temperança e capacidade de transmitir serenidade nas homilias, entrevistas, direções espirituais ou simples conversas de que participa. Atualmente é professor do Instituto Teológico São Tomás de Aquino, Reitor da Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, em Cotia, SP, consultor Canônico, membro da Sociedade Brasileira de Canonistas e membro capitular da Sociedade Clerical Virgo Flos Carmeli

 

Aulas do curso

Bibliografia

AFONSO MARIA DE LIGÓRIO. Glórias de Maria. 15 ed. Aparecida: Santuário, 1987.

AGOSTINHO. Obras Completas. Madrid: BAC, 1956-1995, v. I-XL.

_____. Sermones: PL 38-39.

BERNARDO DE CLARAVAL. In Laudibus Virginis Matris. Homilia IV, n.8. In: Obras Completas. 2 ed. Madrid: BAC, 1994, v.II

_____. Sermo In Nativitate B. V. MariaeDe Aquaeductu: PL 183, 437-448.

BENTO XVI. Regina Coeli na Solenidade de Pentecostes, 23/5/2010: http://www.vatican.va/content/benedict-xvi/pt/angelus/2010/documents/hf_ben-xvi_reg _20100523_pentecoste.html.

CAMILOTTO, João Batista. Hino Acatisto, em honra da Virgem Maria. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1999.

CARLI, Luigi. La morte e l’assunzione di Maria Santissima, nelle omelie greche dei Secoli VII-VIII. Roma: Officium Libri Catholici, 1941.

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. 11 ed. São Paulo: Loyola, 2001.

CLÁ DIAS, João Scognamiglio. Maria Santíssima, o Paraíso de Deus revelado aos homensOs mistérios da vida de Maria: uma esteira de luz dor e glória. São Paulo: Associação Brasileira Arautos do Evangelho, 2020, v. II.

_____. Pequeno Ofício da Imaculada Conceição Comentado. São Paulo: Artpress, 1997.

COMPÊNDIO DO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. 4 ed. São Paulo: Loyola, 2005.

CONCÍLIO VATICANO II. Lumen gentium: http://www.vatican.va/archive/hist_counc ils/ii_vatican_council/documents/vat-ii_const_19641121_lumen-gentium_po.html.

CORRÊA DE OLIVEIRA, Plinio. Palestra. São Paulo, 12 fev. 1976.

_____. Palestra. São Paulo, 17 dez. 1986.

_____. Palestra. São Paulo, 9 out. 1991.

DONADEO, Maria. O Ano Litúrgico Bizantino. São Paulo: Ave Maria, 1998.

FIORES, Stefano de; MEO, Salvatore (Dir.). Dicionário de Mariologia. São Paulo: Paulus, 1995.

HESÍQUIO DE JERUSALÉM. De Sancta Maria Deipara. Sermo IV: PG 93: 1454-1460.

JOÃO DAMASCENO. Homilia II in Dormitionem B. V. Mariae, n. 2: PG 96, 721-754.

JOÃO PAULO II. Homilia na Casa da Santíssima Virgem, em Éfeso, 30/11/1979: http://www.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/homilies/1979/documents/hf_jp-ii_hom_ 19791130_turkey-efeso.html

MARIA MADALENA DE PAZZI. Escritos sobre a Revelação e a Provação. In: COMISSÃO EPISCOPAL DE TEXTOS LITÚRGICOS. Liturgia das Horas. Petrópolis: Ave Maria; Paulinas; Paulus; Vozes, 2000, v. III, p.1312-1313.

MAXIMILIANO MARIA KOLBE. Scritti. Roma: ENMI, 2009.

MISSAL ROMANO. Trad. Portuguesa da 2a. edição típica para o Brasil realizada e publicada pela CNBB com acréscimos aprovados pela Sé Apostólica. 9 ed. São Paulo: Paulus, 2004.

LUÍS MARIA GRIGNION DE MONTFORT. O Segredo de Maria. 16 ed. Aparecida: Santuário, 1993.

_____. Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem. 15 ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

PIO XII. Constituição Apostólica Munificentissimus Deus: http://www.vatican.va/conte nt/pius-xii/pt/apost_constitutions/documents/hf_p-xii_apc_19501101_munificentissimu s-deus.html

ROYO MARÍN, Antonio. Dios y su obra. Madrid: BAC, 1963.

TOMÁS DE AQUINO. Suma Teológica. São Paulo: Loyola, 2001-2006, v. I-IX.